Transferência de votos no Brasil de Vargas e Brizola a Lula


*Leonardo Avritzer

Transferência de votos não é um fenômeno simples. Ela ocorreu algumas vezes na história do Brasil e a maneira como se deu pode ser instrutiva em relação ao que pode vir a ocorrer em 2018. São duas as transferências de voto mais conhecidas da história do Brasil: o apoio de Vargas a Dutra, que definiu o resultado da eleição de 1945, e o apoio de Brizola a Lula, que definiu a transferência de votos no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul durante o segundo turno das eleições de 1989. Vale a pena sistematizarmos o que sabemos das duas eleições para avaliarmos quais são as possibilidades de transferência de votos entre Lula e Haddad e onde e como ela poderá se dar.

A eleição de 1945 é um caso paradigmático da capacidade de grandes detentores de votos determinarem comportamentos eleitorais. Vargas, assim como Lula, detinha apoio suficiente para se colocar nesta posição ao fim do seu primeiro ciclo na presidência. Assim, ele deixa o poder mantendo um capital político que levou consigo para o seu isolamento em São Borja, onde se instalou em 1º de novembro de 1945. Enquanto a campanha eleitoral se desdobrava com os dois principais candidatos