Eleições 2018: Os eleitores estão mais indecisos?


Maria Vitória de Almeida* e Otávio Catelano**

Com 13 candidatos confirmados para concorrer à Presidência, já podemos afirmar que as eleições de 2018 serão altamente competitivas. Outro ponto que vem sendo ressaltado é que, diferentemente das eleições presidenciais disputadas entre 1994 e 2014 - que contavam com uma polarização entre PT e PSDB -, as eleições de 2018 colocam uma interrogação a respeito de quais partidos conseguirão avançar para um possível segundo turno.

O cenário da política nacional enfrentou vários desafios desde a última corrida presidencial, como as manifestações pró e anti-impeachment, a deposição de Dilma Rousseff, o avanço da Operação Lava Jato, a prisão de Eduardo Cunha, a prisão de Lula e as altas taxas de rejeição do governo Temer. Esses, entre outros, são eventos que influenciam as eleições de 2018. Nesse campo de reconfiguração política e partidária, coloca-se em questão se os eleitores estão mais indecisos a respeito dos candidatos em que irão votar no dia sete de outubro. Os dados indicam que a porcentagem de indecisos em 2018, apesar do quadro político singular, não destoa dos resultados dos últimos 20 anos.