A obra de Wanderley Guilherme dos Santos, por Leonardo Avritzer*


O falecimento do professor Wanderley Guilherme dos Santos representa uma grande perda para a Ciência Política brasileira. Wanderley Guilherme foi um dos principais fundadores da Ciência Política no Brasil, senão o principal fundador. Contribuiu para a disciplina com um conjunto de obras que, com certeza, irão continuar entre nós por muito tempo.

Em evento no IESP/UERJ. Da esq. para dir: professor Wanderley Guilherme dos Santos, professor Leonardo Avritzer e professor João Feres

É possível analisar a obra de Wanderley Guilherme dos Santos a partir de um conjunto de contribuições. Sem nenhuma dúvida, somente seu artigo “Quem irá dar o golpe no Brasil?”, publicado em 1963, quando ele tinha apenas 29 anos, representou uma contribuição decisiva para o entendimento do país. Somente ela seria uma enorme contribuição a Ciência Política brasileira. Mas suas contribuições foram muito além disso.

Tenho certeza que muitas pessoas irão escrever sobre as contribuições de Wanderley

Guilherme dos Santos. E tenho certeza também que a minha análise aqui é uma seleção do que influenciou a minha formação e as minhas contribuições para Ciência Política brasileira. Assim como essas obras me influenciaram, um conjunto de outras obras influenciaram outras pessoas.

É difícil escolher quais são as principais obras de Wanderley Guilherme dos Santos. Eu, pessoalmente, gostaria de destacar aqui três obras principais. Cidadania e Justiça (1979), Crise e Castigo (1987) e Razões da Desordem (1994). Cada uma delas realizou uma contribuição fundamental no entendimento de um aspecto da sociedade brasileira ao longo do século XX. Em Cidadania e Justiça, Wanderley Guilherme dos Santos lançou o conceito de Cidadania Regulada. Isto é, ele mostrou que padrão de constituição de cidadania no Brasil poderia ser diferenciado do padrão de constituição de cidadania nos países ocidentais, principalmente nos países europeus, devido a falta de um elemento de acesso universal. Enquanto nesses países a cidadania seria fundamentalmente o status que daria o acesso a um conjunto da cidadania a direitos sociais, no caso brasileiro, existe uma segmentação de acordo com a regulamentação das profissões que teria estabelecido um processo fragmentado de acesso a cidadania no país.

Em Crise e Castigo, Wanderley Guilherme dos Santos amplia sua abordagem em relação a Cidadania e Justiça. O autor utiliza uma abordagem ao mesmo tempo conceitual e que trabalha com dados empíricos. A questão fundamental do livro, que se tornou um clássico dos estudos sobre a redemocratização no Brasil, é que ali Wanderley Guilherme dos Santos já mostra os principais dilemas da democracia no Brasil: o problema da desigualdade e sua incidência sobre a organização e a democracia no país, problema esse ainda não superado.

Por último, em Razões da Desordem e seguindo essa nova tradição por ele inaugurada - de conectar análises conceituais com análises empíricas - Wanderley Guilherme dos Santos discute as perspectivas da democracia brasileira sob o ponto de vista da reorganização de diversos setores sociais no país. Novas associações e grupos de interesse são apontados como novos mediadores da representação política. Essa análise, que acaba estabelecendo um padrão de longo prazo no pensamento de Wanderley Guilherme dos Santos, irá se manter ao longo da sua obra posterior e irá se manifestar, inclusive, no seu último livro, A Democracia Impedida (2016).

Assim, podemos dizer que Wanderley Guilherme dos Santos, nesses três livros que destaquei como aqueles que considero principais da sua obra, lançou elementos fundamentais para entendimento do período autoritário, da transição para a democracia e do novo período democrático, terminando a sua obra com um livro no qual mostrou os impasses da democracia no Brasil a partir da reorganização de um conjunto de setores e da reação das elites a este processo. Wanderley mostrou os impactos provocados por um aumento da representação dos interesses constituídos, mas, ao mesmo tempo, pela reação das elites a esses mesmos interesses. Sem dúvidas, todo esses elementos da obra fazem com que Wanderley Guilherme dos Santos seja um clássico da Ciência Política brasileira, que continuará oferecendo a futuras gerações diversas chaves analíticas para pensar nosso país.

Wanderley Guilherme dos Santos em visita do Departamento de Ciência Política da UFMG, em 2017

*Leonardo Avritzer é professor do departamento de Ciência Política da UFMG e coordenador do Instituto da Democracia e da Democratizaçao da Comunicação

#wanderleyguilherme #democracia

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação

Endereço: Av. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha | Belo Horizonte - MG 31270-901

E-mail: institutodademocracia@institutodademocracia.org

Telefone: (31) 3409-5004