'Judiciário quer se transformar no elaborador das políticas públicas', diz Leonardo Avritzer


Caio Sarack*

Entrevista publicada originalmente no Estado

Sempre nos damos conta de que estamos participando da História – essa mesma, com maiúscula – quando percebemos algo no cotidiano assumindo certa coloração nostálgica e/ou ultrapassada, para o bem ou para o mal. Imaginemos, para dar exemplos, o desaparecimento daqueles celulares com botões numéricos ou ainda o antigo receio de fazer compras online. O sumiço ou a revisão de coisas comezinhas são os sintomas a partir dos quais nos percebemos no centro da transformação dessa História sobre a qual falamos.